Eu estou ansiosa

Uma vez eu li em algum ensinamento budista que quando sua vida está prestes a tomar um rumo diferente e sofrer grandes transformações, você fica num estado de nervosismo e ansiedade. É exatamente assim que eu me sinto ultimamente. Estou nervosa e ansiosa e não sei o que fazer. Eu conclui agora em julho uma faculdade que sinceramente não é o que eu quero e não é o  que me faz feliz. Agora que eu tenho um tempo livre para me dedicar a algo que eu gosto, eu não consigo focar e tomar a decisão do que eu quero fazer. Vocês já se sentiram assim? Eu quero fazer um milhão de coisas ao mesmo tempo e essa ansiedade me paralisa ao ponto de eu não fazer nada. Eu sempre tive na minha mente a sensação de que eu vou fazer grandes coisas. E não é como se eu tivesse uma super auto-estima elevada, eu simplesmente sinto que se eu me esforçasse, se eu tomasse o rumo certo, eu poderia fazer grandes coisas. Eu acredito que eu tenho talento. Só que o problema do ser humano (meu problema), é esperar que as coisas caiam do céu. Eu animo fácil para tudo mas desanimo tão fácil quanto. Na primeira desilusão ou desaprovação, eu desisto, ou mudo totalmente de ideia. Mas a verdade é que como a maioria das pessoas, eu tenho medo de sair da minha zona de conforto, tenho um medo irracional de tomar decisões erradas e ao mesmo tempo eu sinto que eu estou desperdiçando o meu tempo em lugares que eu não pertenço. Confuso? Eu sei. Quero ser um milhão de coisas, eu quero ter sucesso e principalmente quero me sentir realizada. E quem não quer, não é mesmo? Eu sou ótima em dar conselhos, mas péssima par seguir eles na minha própria vida. Mas vou dizer para vocês, e para mim mesma: vamos ter foco! Esses momentos de ansiedade e nervosismo são cruciais na nossa vida e decisivos. Não vamos deixar o medo impedir que façamos coisas extraordinárias. Todos podemos ser extraordinários. Basta querer e se dedicar. Vamos nos arriscar, tentar coisas novas, retomar coisas antigas que paramos por algum motivo. Vamos ser aquela pessoa que olhamos no espelho e pensamos que poderíamos ser se não tivéssemos medo demais para arriscar.  Vamos dar uma chance a nós mesmos de sermos aquilo que dentro do nosso coração estamos destinados a ser. FAÇA MAIS DO QUE EXISTIR.

Resista aos dias frios!

Recentemente, uma amiga minha terminou um namoro que, diga-se de passagem, não era muito bom. De vez em quando ela vinha me dizer que estava com saudades, eu comecei a reparar que esses momentos saudosos eram mais fortes nos dias frios. Términos nunca são fáceis, mas eu acho que em dias frios são mais complicados. Aquele dia chuvoso, monótono e que dá vontade de não sair da cama, sabe? São os piores. Esses dias trazem de volta todas aquelas lembranças boas, de momentos foram bons. Nesses dias parece que todas as lembranças ruins se esvaem e só sobra carência. Você lembra das maratonas de filmes, dos abraços quentinhos e o amor debaixo das cobertas…  E com as lembranças boas, vem os pensamentos ruins. Bate aquela vontade de mandar um “e ai, o que você anda fazendo?”. Resista! Isso não passa de carência. Nesses momentos você acaba esquecendo tudo aquilo de ruim que passou, esquece que os momentos ruins eram maiores do que os momentos bons. Você não precisa de alguém que te proporciona 10 momentos ruins e 2 felizes. Resista! Levanta da cama, lê o seu livro favorito, assiste aquela maratona de filmes que só você gosta (ou chama um amigo/amiga para assistir com você), faz aquele brigadeirão de panela, se permita a andar em casa que nem um mendingo, não importa se você ta com aquela calça furada (mas que é tão quentinha), não importa se você ta com meias diferentes… O que importa é que sendo calor ou frio, você esteja de bem consigo mesmo. Resista! Você vai encontrar alguém novamente. Curta sua companhia. Aproveite os pequenos momentos. Ame a liberdade de fazer o que você quiser. Os dias frios são difíceis, eu sei, mas não esqueça que os dias de verão estão chegando. Aguente firme até lá!

Tudo que vai, volta mesmo?

Sempre ouvi frases como “tudo que vai,volta”, “você colhe o que você planta”, “quem planta sacanagem, colhe solidão” hahahaha. Mas será que volta mesmo gente? Vejo tanta gente babaca ai, que é babaca a vida inteira e cadê o castigo merecido? Ainda não vivi pra ver. Eu já fiz merda nessa vida sim, não fiz coisas legais, mas nada de absurdo. E porque tudo sempre volta pra mim? hahahaha. Não, gente. Sério. Sempre achei que existisse lei do retorno mas ultimamente tô meio desacreditada. Sei que a gente tem que praticar o bem, sem esperar nada em troca, eu sei! HAHAHAHA. Não é sobre um retorno positivo egoísta que eu tô falando. Eu tô cansada de ser trouxa nessa vida, eu quero é saber quando que vai chegar minha hora de parar de ser trouxada. Eu procuro ser uma pessoa boa, valorizar quem está ao meu redor, ajudar sempre que possível, fazer minha parte para o universo… mas quando eu vou encontrar alguém que seja assim? Tô cansada de ser gongada. CARALHO. Posso xingar no meu blog? É permitido? Já me ferrei tanto e continuo me ferrando. Será que eu tenho dedo podre? Parece que eu vivo um eterno déjà vu de encontrar sempre as mesmas pessoas, só que com caras diferentes, e estou eternamente reclamando das mesmas coisas. Será que o problema sou eu? Talvez. Mas não é possível que o problema seja somente eu. Sério. Gente. Ainda existe uma amizade nessa vida? Amizade é uma coisa real? O que a gente joga para o universo, a gente atrai mesmo? EU SOU A POSITIVIDADE em pessoa. Mas to cansada de ser.  Eu quero saber que horas que eu vou começar a colher esses frutos que eu venho plantando faz anos.. Eu tô eternamente nesse ciclo vicioso e sinceramente só quero saber quando vai acabar.

 

 

 

 

 

TAKING STOCK

Olar olar galere!

Vi essa TAG chamada Taking Stock no blog  Compra-se Um Fusca, é um blog fofíssimo que eu adoro e indico! Essa tag é sobre sentimentos, desejos, ou coisas que você estiver fazendo no momento. Achei interessante e resolvi aderir, já que é uma forma de indicar coisas que eu gosto e falar sobre coisas em geral.

Ouvindo: Sabe aquele sertanejo que tá todo mundo cantando? “Tô bebendo o que eu jamais bebi” hahahaha. Nãaao, não to ouvindo sertanejo. Tô mais pra “tô ouvindo o que eu jamais ouvi”. Tô ouvindo muito Sorry e Love Yourself do Justin Bieber. Tô com um problema sério com a música Pillow talk do Zayn (socorro) mil vezes no replay.

Agradecendo: Tentannndo lembrar sempre de agradecer pelas coisas que me são dadas e não chorar pelas coisas que me foram tiradas.

Lendo: Confesso que estou meio sem tempo para ler, mas comecei a ler “A grande magia” da Elizabeth Gilbert (a que escreveu comer, rezar e amar) e olha galere… só aviso que quando tiver tempo de terminar vai rolar um post inteiro sobre esse livro mara! LEIAM 😀

Estudando: Fazendo TCC! Muito TCC! Só TCC nessa vida

Necessitando: De alguém que segure minha mão e diga: Cassia, eu faço o TCC pra você! HAHAHA

Desejando: Viajar e terminar logo o semestre para acabar com o TCC hahaha sério gente, num guento

Sentindo: Muito estresse a maior parte do tempo e infelizmente guardando mágoa demais.

Planejando: Viajar em junho e descansar um pouco, e muitos outros planos para depois da faculdade.

Amando: Muuuito meu namorado ❤

Assistindo: Pretty Little Liars sem parar, comecei faz um mês mais ou menos. Ontem também comecei a assistir Prision Break com o namorado e já sinto que vai virar vicio.

Vestindo: Muitos casaquinhos porque o frio chegoooou ❤ Nunca mais me deixe frio!!!!

Comendo: Muita coisa saudável e muita besteira. Sou adepta de dieta apenas de segunda a sexta! hahaha

Pensando: Muito. Questionando minha existência quase que o tempo inteiro e tentando não surtar.Parece que tô num momento em que o mundo inteiro está em questão. Tô duvidando de tudo e mudando totalmente de pensamento em relação a certas coisas…

Desfrutando: Diria que estou plantando para desfrutar lá na frente.

Então gente, é isso! Espero que gostem de me conhecer um pouco mais e se identifiquem (ou não). Não sei muito bem como ser blogayra mas gosto de pensar que tenho esse cantinho aqui para falar o que eu quiser e quem sabe alguém passa e lê….

Ótimo finzinho de dia procêees

Beijos da Cass 🙂

 

Um texto sobre nada

Sabe que aqueles dias que você quer fazer tudo e nada ao mesmo tempo? Você não consegue organizar as idéias na sua cabeça, parece que você ta ligada no 220 e é tanta coisa para fazer que você acaba fazendo nada. Entendeu? Nem eu! Tô assim nesse exato momento. É faculdade, é vida social, é estágio que eu já to de saco cheio.. Hoje acordei com vontade de fazer todas as coisas do mundo e me odiando por não poder ou ter começado a fazer algo que eu ame! MEUS DEUS EU PRECISO DE UM HOBBIE. Eu preciso de um escape! E quem não precisa né? Quando você foca demais em tudo aquilo que você tem que fazer, você acaba esquecendo de se preocupar com o que você realmente quer fazer. Eu quero fazer academia, um curso de fotografia, um curso de cabeleireira, comprar roupas, juntar dinheiro, comer besteira, fazer dieta… Estão vendo como eu tô uma bagunça hoje? Tenho que lidar com a minha timidez para entrar sozinha na academia, para mim é o fim fazer qualquer coisa sozinha, eu sou extremamento dependente de pessoas para fazer absolutamente tudo. É um saco? É! Me odeio por isso? Odeio! Fico com esse peso na consciência de que ja devia estar no meu projeto verão e cadê? É tanta coisa para me cobrar que parece que tô prestas a explodir. Graças a Deus estou no último semestre da faculdade, só não agradeço pelo tcc 😀 Não sei se eu deveria fazer mesmo em grupo ou fazer sozinha. Eu sou muito perfeccionista mas sou preguiçosa de mais para fazer sozinha, dá pra entender? Nem eu. Eu quero acabar logo e fazer algum curso que eu ame! Mas e o dinheiro para isso? E ao mesmo tempo vou sentir saudades da faculdade. Meu Deus EU SOU UMA CONTRADIÇÃO. Vim desabafar por aqui para ver se eu consigo colocar os pensamentos em ordem e começo do começo mas hoje as coisas simplesmente não estão se encaixando! Quero uma vidinha igual a do pinterest, tudo branquinho e lindo. Roupinhas legais, fotinhas conceituais no instagram. Esse povo parece que não faz absolutamente nada a não ser tirar fotos lindas o dia inteiro né? hahaha. E eu tô aqui nessa bagunça, morrendo de tédio com um milhão de coisas para fazer. Alguém se identifica? hahahahaha. Não é fácil crescer, onde aperta pra voltar hein?

Aquele papo sobre ser você mesma

Todos nós possuímos características que não gostamos, geralmente é mais fácil falar dos nossos defeitos do que nossas qualidades. Mas será que tudo que nós chamamos de “defeito” são realmente defeitos? Muita gente diz que eu sou esquentadinha, brigona, barraqueira e eu (como uma boa pessoa que só reconhece defeitos em mim mesma) sei que isso é verdade. Eu sou esse tipo de pessoa que se não to gostando vou embora, se eu me sinto atacada eu ataco, se eu acho que uma coisa não está certa eu não fico calada. Esse meu jeito se deve a convivência com pessoas grossas e abusivas a minha vida toda e talvez por eu não poder me impor com elas, me imponho a todo o resto. Acho que nós temos uma cota de coisas para aguentar, e eu realmente não aguento mais grosseria de ninguém. Só que apesar de ser assim, eu sou bem sentimental e depois começo a pensar que eu sou a culpada, que sou muito impulsiva e que deveria ter pensado mais antes de sair assim desaforada. Mas será que a maioria das vezes esse meu jeito é um defeito? Já cometi erros como todas as pessoas normais mas parando para refletir, todas as vezes que eu agi assim eu realmente tive motivo. Eu não sou uma pessoa que vai arrumar briga com você por qualquer coisa ou começar uma discussão pelo simples fato de discutir. Eu desprezo esse tipo de pessoa. Eu sou realmente calma até demais, não explodo com facilidade. E é muito fácil uma pessoa me fazer sentir culpada e isso sempre acontece quando sou repreendida por ser assim “esquentadinha”. Já pensei muitas vezes em mudar meu comportamento e já tentei fazer isso para ser socialmente aceita, e com medo de perder pessoas que eu gosto. Mas será que sou eu mesma que devo mudar? Ou será que as pessoas que tem que parar de justificar os erros delas e tratamentos abusivos usando meu “defeito” como desculpa? Não aturar comportamentos, situações e tratamentos que eu acho errado, é realmente um defeito? Comecei a me questionar dessa vez, tratando o meu defeito como uma qualidade. Eu me imponho e não aceito ser tratada de uma forma que eu não mereço… E isso é um defeito por acaso? Acho que eu (todos nós) temos que parar de deixar as pessoas nos tratarem mal e nos fazerem sentir culpadas usando defeitos nossos para o justificar os delas. Sei que meu defeitinho é qualidade para muito gente.Tenho que ter orgulho de mim mesma porque eu sei me impor diante das situações. Vou ser sempre eu mesma, não tenho que mudar para agradar ninguém. Vou ser sempre a “nervosinha” mas nunca vou aceitar menos do que eu mereço e abaixar minha cabeça para ninguém. Antes de amar alguém você tem que se amar, você não tem que se diminuir para ser amada e aceita, você não tem que ser menos do que você é porque alguém não aguenta a sua imensidão. Se você deixa de ser você mesmo para agradar alguém, aonde é que seus sentimentos ficam nessa história? Assim como eu, aconselho a quem estiver lendo esse texto que pare para refletir sobre isso. Pense nas suas qualidades e defeitos sem pensar nas pessoas,sobre o que elas dizem de você ou sobre o que elas acham que sabem sobre você. Se conheça e se ame! Não pense em você mesmo usando a imagem que outros tem sobre você.

Ps: a ruivinha da foto sou eu :}

Respeito é para quem tem!

~ATENÇÃO VAI TER TEXTÃO SIM E ESSE POST CONTÉM ALTAS DOSES DE REVOLTA~

  Eu não sou do tipo que posta textão no facebook, adora polemizar e problematizar qualquer assunto, não me meto em debates ou discussões simplesmente porque não gosto de discutir, não gosto de estresse, e muitas das vezes também não me sinto capacitada a discutir certos assuntos que não compreendo ou que tenho pouca informação. Mas confesso que geralmente não entro em discussão nenhuma, por preguiça de gente que está ali APENAS com o intuito de discutir. Enfim, desde ontem estou entalada de tanta coisa ruim que venho por aqui fazer esse desabafo, já que é impossível você fazer qualquer tipo de desabafo no facebook sem gerar polêmica de alguma forma.

  Ontem peguei o trem Gramacho, no Centro do Rio de Janeiro, no horário do rush, e eu estava no vagão feminino, como sempre. Um rapaz entrou no vagão feminino e se sentou no banco preferencial (duplamente errado). Todas as mulheres ali o avisaram com toda paciência que o vagão era destinado as mulheres mas o rapaz permaneceu sentado e ainda falando merda com quem o avisasse. Até que o guarda veio até o vagão e pediu para o dito cujo se retirar, porém o rapaz disse que não ia se levantar e permaneceu ali. Geralmente a política dos guardas era explicar pacientemente que isso é uma norma, uma lei, então o rapaz deveria obedecer, se não o trem não ia sair, e apesar disso tudo o rapaz permaneceu sentado. Acho que a política dos guardas mudou um pouco, então vieram dois rapazes para retira-lo do vagão. O rapaz começou a fazer um escândalo dizendo que ninguém tocava nele e que ele ia sair por vontade própria (nessa hora todo mundo caga haha). Até ai eu não estava ligando, porque infelizmente esse tipo de coisa é tão comum todos os dias que até perdemos a vontade de nos manifestar e dar importância. Assim como todas as mulheres e todas as pessoas de outros vagões, ficamos esperando o guarda retirar o “revoltadinho”. Alguns permaneceram olhando, alguns vaiando, alguns reclamando e alguns rindo. O rapaz estava ali passando vergonha porque queria, ninguém estava nem ai para a pequena revolta dele desnecessária. Ai então começou o discurso dele, e isso sim me revoltou. O rapaz disse que vagão feminino é uma palhaçada, que deveriam tirar as mulheres do vagão masculino então, que isso era uma falta de respeito (oi?), que tudo já é uma bagunça mesmo e ele não via razão nenhuma para obedecer normas, etc.

  Não é como se eu nunca tivesse ouvido esse discurso, mas é que naquele momento isso me revoltou de tal forma que eu não sei explicar, não consegui ignorar aquilo, fui para casa pensando nisso. Me diz, como uma pessoa quer respeito se ela mesmo não consegue respeitar uma norma simples? MEU DEUS, É APENAS UM VAGÃO FEMININO, com muitos outros vagões mistos para ele ficar. Sério. Tanta coisa pior no mundo e esse é o motivo da revolta desse rapaz??? Tanta coisa de ruim no mundo e ele quer protestar sobre a existência de um vagão feminino? Antes da existência do vagão feminino eu sofria constantemente (e ainda sofro) assédios dentro dos transportes públicos e fora deles, não só eu, como muitas mulheres. Me pergunte quantas histórias eu tenho de homens tentando me encochar, me imprensando, mexendo comigo e passando a mão em mim. São milhares de histórias!!! E convivo com isso basicamente todos os dias da minha vida. Inclusive hoje, dia seguinte desse acontecimento, fui assediada 8h da manhã na rua por um babaca que olhou para a minha bunda e começou a dizer diversas coisas sexuais que ele faria comigo no meio da rua!!! Com gente ouvindo. Sério. Aquele rapaz do trem não entende o que as mulheres passam e nem se quer se preocupa em entender. Ele quer se revoltar apenas porque é homem e acha que tem o direito de mijar em todos os locais marcando território. Quando eu tinha uns 14 anos, na escola, um colega de classe começou a me ofender e falar várias coisas sexuais para mim, e eu como nunca fui de levar desaforo para casa, me defendi. Me defendi e levei um soco. Pergunta se alguém me defendeu? Se alguém ligou? Ninguém fez nadaaaa. E muita das vezes (como hoje na rua) não respondi por medo de ser agredida e ninguém me socorrer. Porque quando a gente responde, a gente é maluca. Se a gente grita, a gente é maluca. Infelizmente, eu tenho diversas histórias parecidas como essa mas já estou prolongando demais esse post. O meu ponto é: respeito é para quem tem respeito! O rapaz duplamente errado nunca vai entender como uma mulher se sente e o que nós temos que passar todos os dias de nossas vidas. Se ele acha o sistema uma bagunça, “que os caras entram mesmo no vagão e ele também ia entrar“, porque não começar ele mesmo fazendo a diferença? Como ele quer respeito, se ele não começa respeitando? Porque ele não começa obedecendo as normas para que acabe a bagunça? Porque ele não se revolta com assuntos que realmente mereçam revolta? O vagão feminino não é um privilégio, é uma forma das mulheres se sentirem mais seguras nessa sociedade aonde é comum um homem passar a mão na mulher, assediar, ofender, encochar e ficar por isso mesmo. Eu me sinto segura e tranquila no vagão feminino, pois não tenho que passar a viagem inteira me esquivando de um cara que fica tentando se esfregar em mim. Se a maioria dos homens tivessem respeito pelas mulheres uma medida dessas não seria necessária. VAMOS RESPEITAR MAIS E RECLAMAR MENOS! Vamos nos revoltar com assuntos que são realmente importantes para um país mais justo e menos “bagunçado”.

Beijos da Cass 🙂