Eu estou ansiosa

Uma vez eu li em algum ensinamento budista que quando sua vida está prestes a tomar um rumo diferente e sofrer grandes transformações, você fica num estado de nervosismo e ansiedade. É exatamente assim que eu me sinto ultimamente. Estou nervosa e ansiosa e não sei o que fazer. Eu conclui agora em julho uma faculdade que sinceramente não é o que eu quero e não é o  que me faz feliz. Agora que eu tenho um tempo livre para me dedicar a algo que eu gosto, eu não consigo focar e tomar a decisão do que eu quero fazer. Vocês já se sentiram assim? Eu quero fazer um milhão de coisas ao mesmo tempo e essa ansiedade me paralisa ao ponto de eu não fazer nada. Eu sempre tive na minha mente a sensação de que eu vou fazer grandes coisas. E não é como se eu tivesse uma super auto-estima elevada, eu simplesmente sinto que se eu me esforçasse, se eu tomasse o rumo certo, eu poderia fazer grandes coisas. Eu acredito que eu tenho talento. Só que o problema do ser humano (meu problema), é esperar que as coisas caiam do céu. Eu animo fácil para tudo mas desanimo tão fácil quanto. Na primeira desilusão ou desaprovação, eu desisto, ou mudo totalmente de ideia. Mas a verdade é que como a maioria das pessoas, eu tenho medo de sair da minha zona de conforto, tenho um medo irracional de tomar decisões erradas e ao mesmo tempo eu sinto que eu estou desperdiçando o meu tempo em lugares que eu não pertenço. Confuso? Eu sei. Quero ser um milhão de coisas, eu quero ter sucesso e principalmente quero me sentir realizada. E quem não quer, não é mesmo? Eu sou ótima em dar conselhos, mas péssima par seguir eles na minha própria vida. Mas vou dizer para vocês, e para mim mesma: vamos ter foco! Esses momentos de ansiedade e nervosismo são cruciais na nossa vida e decisivos. Não vamos deixar o medo impedir que façamos coisas extraordinárias. Todos podemos ser extraordinários. Basta querer e se dedicar. Vamos nos arriscar, tentar coisas novas, retomar coisas antigas que paramos por algum motivo. Vamos ser aquela pessoa que olhamos no espelho e pensamos que poderíamos ser se não tivéssemos medo demais para arriscar.  Vamos dar uma chance a nós mesmos de sermos aquilo que dentro do nosso coração estamos destinados a ser. FAÇA MAIS DO QUE EXISTIR.

Resista aos dias frios!

Recentemente, uma amiga minha terminou um namoro que, diga-se de passagem, não era muito bom. De vez em quando ela vinha me dizer que estava com saudades, eu comecei a reparar que esses momentos saudosos eram mais fortes nos dias frios. Términos nunca são fáceis, mas eu acho que em dias frios são mais complicados. Aquele dia chuvoso, monótono e que dá vontade de não sair da cama, sabe? São os piores. Esses dias trazem de volta todas aquelas lembranças boas, de momentos foram bons. Nesses dias parece que todas as lembranças ruins se esvaem e só sobra carência. Você lembra das maratonas de filmes, dos abraços quentinhos e o amor debaixo das cobertas…  E com as lembranças boas, vem os pensamentos ruins. Bate aquela vontade de mandar um “e ai, o que você anda fazendo?”. Resista! Isso não passa de carência. Nesses momentos você acaba esquecendo tudo aquilo de ruim que passou, esquece que os momentos ruins eram maiores do que os momentos bons. Você não precisa de alguém que te proporciona 10 momentos ruins e 2 felizes. Resista! Levanta da cama, lê o seu livro favorito, assiste aquela maratona de filmes que só você gosta (ou chama um amigo/amiga para assistir com você), faz aquele brigadeirão de panela, se permita a andar em casa que nem um mendingo, não importa se você ta com aquela calça furada (mas que é tão quentinha), não importa se você ta com meias diferentes… O que importa é que sendo calor ou frio, você esteja de bem consigo mesmo. Resista! Você vai encontrar alguém novamente. Curta sua companhia. Aproveite os pequenos momentos. Ame a liberdade de fazer o que você quiser. Os dias frios são difíceis, eu sei, mas não esqueça que os dias de verão estão chegando. Aguente firme até lá!